Pular para o conteúdo principal

[Fanfic] Novos começos - Capítulo 5

No dia seguinte, fui à casa de Makoto na mesma hora. Ele já estava me esperando prontamente para começarmos a estudar. Fizemos tudo sem perder tempo, da melhor maneira Ele decidiu que iria me explicar alguns tempos verbais e verbos irregulares (que tinha uma lista enorme, sem exagero nenhum).
Como vou saber tudo isso?! falei, espantada
É bom treinar a sua memória ele provocou, e eu fiz uma careta.
Seguimos o mesmo esquema do dia anterior, com explicações e atividades. Ele me ensinava pacientemente tudo que precisava saber (pelo menos naquele dia)
 E assim, se seguiam as horas, os dias, as semanas (...)
Com o tempo, aprender inglês tornou-se mais fácil, já que eu estava compreendendo melhor o idioma depois de praticar bastante em todos os sentidos.
Como o combinado, sempre tomávamos chocolate quente (era uma espécie de acordo, que só a gente entendia).

Mas teve um dia, que logo que me despedi dele, ele me segurou pelo braço e disse:
Fique aqui! ele pediu, decidido
Makoto, tá nevando... eu tentei dar uma desculpa para ir embora por causa do tempo, mas no fundo já estava super feliz de ele estar pedindo pra ficar.
Fica aqui comigo hoje! ele insistiu
Com um sorriso bobo de ponta a ponta, eu cedi ao pedido dele, tocando suas mãos com delicadeza.
Você venceu! disse, e ele pareceu abrir um sorriso no rosto, satisfeito, me olhando como se dissesse “que bom que consegui te convencer, garota!”
Então venha cá ele me puxou, e fomos correndo (sem parar) em direção ao seu quarto. Lugar limpo, organizado, bem a cara de Kashino Makoto
Chegando lá, nos sentamos na cama dele e ele disse
Queria te deixar mais a vontade, por isso te trouxe aqui ele se explicou, olhou de canto para mim, um pouco tímido.
Tudo bem... Também acho melhor assim...  respondi, sorridente, com uma pontinha de malícia na fala, já que queria ficar um tempo a sós com ele 
O que vamos fazer agora? perguntei com aquela ingenuidade que só quem é muito distraída tem
O que você acha, sua tonta? Você é toda minha agora! ele me abraçou bem forte, demonstrando que realmente me queria ao seu lado naquela hora. Um abraço sincero, que eu retribui de maneira carinhosa, desejando que aquilo acontecesse mais vezes. Segundos depois já estávamos deitados na cama...
Eu sei... respondi, com um suspiro de apaixonada, olhando bem no fundo de suas íris cor de mel— Você também é só meu, Makoto!
Nessa hora, desejei que o tempo parasse ali mesmo, naquele instante, naquela cama, naquele abraço aconchegante, harmonioso, apaixonante, com aquele momento a dois que pertencia somente a nós, que só a gente sabe e lembra como foi.
Em poucos instantes ele me agarrou para perto de si e subitamente me beijou, acariciando-me por completo, e retribuí suas carícias suavemente. Seu toque me fazia estremecer e meu corpo se arrepiar. É totalmente indescritível o que eu sentia naquele momento, ou melhor, em todo e qualquer momento nós estávamos a sós. Agarrei-me ainda mais a ele, respondendo ao seu abraço da maneira mais intensa que podia. Estávamos nas nuvens, completamente presos um ao outro, impossível de nos soltarmos. Percebi que ele também sentia o mesmo prazer que eu ao fitar com cumplicidade e delicadeza.
Aquele era o nosso momento. Pena que estava perfeito demais para ser verdade

Makoto! alguém gritou
É “ela”! ele me falou, após reconhecer a voz da irmã mais velha
A contra gosto, nos soltamos um dos braços do outro (sabíamos que a situação pedia isso, e já que fomos interrompidos mesmo... bom, acho que já deu pra entender, né?)
Só um minuto! ele berrou de volta
Sentei-me na ponta da cama dele, enquanto ele foi atender a porta.
O que você quer? ele perguntou, irritado.
Sempre arredio ela comentou com um risinho, mexendo nos cabelos, como se estivesse se divertindo com a expressão do irmão.
Fala logo, o que quer? ele disse no mesmo tom de antes
Só vim avisar que nossos pais vão chegar tarde ela informou, como se aquilo não fosse nada especial
E um instante depois, ela se deu conta que eu também estava lá e olhando fixamente para o irmão e perguntou:
O que ela está fazendo aqui?
Ela veio estudar. Algum problema? ele questionou a irmã mais velha, irônico
Ah, então essa deve ser a garota que o Muraoka me disse que vem sempre aqui ela disse, como quem estava começando a entender as coisas, o tom irônico.
E daí? E se for? Que eu saiba a casa também é minha e posso convidar quem eu bem quiser quantas vezes  quiser! ele exclamou, aos berros, enfrentando-a.
Tá, tá! ela falou com desinteresse, querendo deixar o assunto pra lá Mas é que você nunca traz ninguém aqui ela falou sincera Você deve gostar bastante dela para trazê-la aqui com frequência.
Nesse momento, percebi que nossos rostos estavam corados.
Já disse, ela precisa de ajuda para estudar era verdade, mas naquela hora pareceu mais uma desculpa para se livrar dos comentários da irmã.
Você não me engana, Makoto! Está na cara que vocês estão se gostando!
Que eu me lembre a minha vida pessoal não é da sua conta, Miyabi ele respondeu friamente, fuzilando-a com o olhar (ele só a chamava pelo nome quando estava realmente bravo/indignado/irritado).
Olha, não quero brigar ela começou, pacificamente, querendo quebrar o clima tenso.
Até parece! Makoto atacou, com desprezo, os braços cruzados .
É sério! Se vocês se gostam eu não me importo, e até aprovo.
Isso realmente nos impressionou, especialmente o Makoto, já que ele ficou sem reação por alguns segundos.
Nee-san... ele disse, com um suspiro bem longo.
A Ichigo me impressionou muito desde a primeira vez que veio aqui “te salvar”— ela declarou, e meus olhos brilharam de alegria, no mesmo instante que eu lembrava do fato a que ela se referia.
Após uma pausa, ela continuou:
Ela foi a única que me enfrentou de forma tão decidida, a ponto de me fazer um desafio e ao mesmo tempo, me agradar com meu doce predileto. Foi aí que percebi o quanto corajosa e amável ela é a Miyabi falou, sincera, agora num tom mais ameno. Você fez uma boa escolha, Makoto, e tem muita sorte por isso falou, por fim.
Nos entreolhamos com cumplicidade felizes pelas palavras da irmã dele.
Não comemorem ainda! advertiu ela tenho uma condição
Qual é? perguntamos em uníssono
Quero que me contem tudo ela declarou, com um sorriso.
Mesmo com a expressão meio desconfortável, como quem diz: “ela está querendo saber demais”, Makoto concordou, já que sabia que não tinha escolha. [Nota mental: Nunca contrarie ninguém da Família Kashino].Contamos a ela como começou essa nossa relação, os planos para o futuro (que não estava tão distante) e como nos sentíamos um em relação ao outro. Só omitimos algumas informações que (claro!) eram particulares demais. Ficamos conversando por um bom tempo, e a Miyabi parecia satisfeita com tudo que ouvia, escutando cada palavra atentamente para não perder nenhum detalhe. A conversa fluiu bem. Tão bem que nem vimos o tempo passar. Até que, olhando no relógio percebi que já estava mais do que na hora de ir, mesmo não  querendo fazer isso. Mesmo assim, eu disse:
Tenho que ir e como quem não deixa passar nada, Kashino percebeu meu desapontamento na voz.
Como você vai embora? a irmã dele perguntou
Eu levo ela Makoto se ofereceu, de bom grado.
Ok Juízo vocês dois! a Miyabi falou, amena, com um sorriso, piscando para nós.
No caminho eu e ele fomos conversando, de mãos dadas, sobre o que cada um de nós queria em nosso futuro. Nosso futuro, as palavras ficaram na minha mente.Construiríamos juntos, afinal.

Em casa...
Tocamos a campainha de casa duas vezes, e minha mãe nos atendeu no segundo toque. Mal cheguei à porta de casa e já estavam na me fazendo milhares de perguntas de uma vez só.
É uma longa história afirmei, olhando para todos, na tentativa de dizer o mínimo possível logo de cara.
Se é uma longa história, por que não convida seu amigo para entrar? Acho que ele pode te ajudar a contar tudo o que precisamos saber propôs a minha irmã mais nova, na maior cara de pau.
Confesso que a possibilidade de ficar com ele mais um tempo me agradou de imediato e até me fez corar um pouco
Verdade. Precisamos mesmo conversar falou a mamãe, logicamente concordando com a ideia da Natsume
Vendo que não nos restava alternativa (mais uma vez) entramos em casa e nos acomodamos no sofá da sala. Eu lancei-lhe um olhar que dizia: “Prepare-se, porque aí vem bomba. Vão querer saber tudo”.
Minha mãe nos serviu chá minutos depois e começamos a conversar. As perguntas foram as mais variadas possíveis, então começamos a falar da “maratona de estudos de inglês”. Makoto disse à minha família que eu estava melhorando bastante, pouco a pouco. Eu, de outro lado, dei-lhe créditos por ensinar tão bem. Depois esclarecemos algumas coisas sobre o projeto em Londres e sobre o nosso futuro. Por último foi nada mais que a nossa relação amorosa. Esse foi o assunto que mais gerou perguntas, reações diversas entre outras coisas, já em casa sempre é uma festa, uma folia pra tudo que seja assunto “discutível”
No fim, minha família também aprovou a nossa relação, o que nos deixou super aliviados mesmo!
Por fim, minha disse a Makoto:
Kashino-kun, cuide bem da minha filha ela pediu, carinhosa
Ele assentiu, concordando, visivelmente contente.
Depois disso, trocamos olhares e carícias. Nos tocávamos suave e delicadamente, aproveitando os últimos momentos daquele dia. Agora era ele que precisava ir...
Fique bem, Ichigo. Até amanhã ele se despediu, partindo logo em seguida
Essas únicas palavras foram suficientes para tornar a minha noite mais alegre.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

[k-Drama] While You Were Sleeping Primeiras Impressões

Boa Noite queridos leitores! O novo dorama do Lee Jong Suk ainda nem foi legendado pela equipes dos fansubs brasileiros, mas é claro que eu não poderia deixar esse fato atrapalhar a minha vida de resenhar doramas. Fui correndo ver se tinha While You Were sleeping no estrenos doramas, um site muito eficiente que disponibiliza os mais variados doramas, dos mais antigos até os lançamentos. Para a minha alegria e para a de vocês consegui encontrá-lo já legendado no próprio.  Novamente, a Sbs resolveu disponibilizar doramas em episódios de trinta minutos cada. Eu já assisti os dois primeiros episódios e será com base nestes que escreverei as minhas primeiras impressões.   Eu não sabia do lançamento desse dorama, nem muito menos que o personagem principal seria o Lee Jong Suk. Descobri isso há três dias quando estava navegando pelo Estrenos Doramas. Me digam: Para que eu fui fazer isso? Desde aquele dia fiquei ansiosissíma pelo lançamento. Achei a premissa diferente das outras, um tanto inov…

[K-Drama] Primeiras Impressões 20th Century Boy and Girl

Informações Gerais do Drama:                                                Título: 20th Century Boy and Girl                                                Gênero: Drama, Romance                                                Episódios:32(4 por semana)                                                Duração por episódio: 30 minutos                                                Emissora:MBC                                               Onde assistir: Estrenos Doramas                                               Status: Em andamento. Palmas para a Coréia! A temporada de doramas desse mês está incrível, um dorama melhor que o outro sendo lançado. Quando vi que esse dorama ia ser estrear fiquei muito empolgada, pois é o primeiro papel do Kim Ji Suk como protagonista. Só assim um dorama com ele, intitulado Sassy, Go Go, mas posso lhes afirmar que gostei muito do professor que ele interpretava. Ele sabe transmitir ao público suas excelentes habilidades de atuação.
No entanto, depois de um tempo ac…

[Thai Drama] Promesa de Venganza

“He esperado este día durante mucho tiempo, Ganok. Prometo que tomaré venganza por usted, com la máxima satisfacción”. “Tradução: Esperei este dia durante muito tempo, Ganok. Prometo que me vingarei por você, com a máxima satisfação”. Resenha Existe uma frase de André Maurois que diz o seguinte:” A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde”.  Sinto que com os doramas acontece a mesma situação, pois quanto mais assistimos a estas maravilhosas produções cinematográficas mais nos tele transportamos para um outro mundo, distante das preocupações e crueldades da vida real. Um passatempo que nos alegra. Entretanto, às vezes entramos numa fase em que nenhum livro, dorama ou série nos agrada, as sinopses parecem fracas, sem nenhum fator que chame nossa atenção. Era nesse estado em que me encontrava, mas felizmente depois de avançar pelo meu feed de notícias do facebook, encontrei a indicação desse lakorn. Já tinha ouvido falar sobre essa palavra antes, porém…