Pular para o conteúdo principal

[Resenha] Bride of the Water God - O dorama que me conquistou

Olá amantes da cultura asiática! Hoje tenho o prazer de lhes trazer a resenha de mais um grande lançamento de 2017. Pelo título vocês já devem saber qual é! Isso é bem óbvio kkkk
A cada dia que passa o meu amor pela TVN aumenta de forma inacreditável... Ultimamente essa emissora só lança doramas com alto potencial. Parabéns aos donos, executivos,diretores, especialmente aos roteiristas. Não me decepcionem! Ultimamente esta tem apostado em temáticas que envolvem deuses e digo com propriedade: foi uma decisão acertada, uma vez que essas histórias nos envolvem completamente em um mundo envolto por fantasias mescladas à realidade.



                                          Título: Bride of The Water God
                                          Episódios: 16
                                          Ano: 2017
                                         Gênero: Fantasia/Romance
                                         Idioma: Coreano / Legendado em português-br.
                                         País: Coreia do Sul



A obra é uma adaptação do manhwa de mesmo nome, da autora Yoon Mi Kyung. Já adianto que a história original difere do dorama em vários pontos. Transformaram praticamente todo o enredo, fato que pode não agradar nada os fãs do manhwa. Mas se você, assim como eu ainda não leu a história em quadrinhos pode se aventurar sem medo nessa produção. Até o momento não me arrependo nem por um segundo de ter começado a assistir.
No manhwa a história se passa no passado e gira em torno da personagem So Ah, cuja vila sofre com uma grande seca. Os moradores acreditam que para salvar sua amada terra precisam oferecer uma bela jovem ao deus da água, denominado Habaek. Desta forma, So Ah foi a escolhida para casar com Ha Baek contra a sua vontade. A moça foi jogada no mar dependendo apenas da sua
sorte. Felizmente o belíssimo deus da água a salvou. Este por sua vez possui duas identidades: de manhã é uma criança encantadora e de noite um homem muito atraente, o pecado em si. Para mais informações leiam a resenha da minha xará, pois ela leu até o quarto volume da série. Vou deixar os links no final da resenha.

Agora vamos a história do drama.


O personagem da foto acima é o deus da água(Ha Baek), interpretado por Nam Joo Hyuk. A caracterização do personagem me chamou bastante atenção, pois gostei do verde presente em seu cabelo. Cabelo, maquiagem e roupas estavam impecáveis. O figurino foi o motivo inicial pelo qual resolvi conferir esta adaptação. A entonação de voz de Nam Joo Hyuk me surpreendeu positivamente porque ele conseguiu transmitir toda a arrogância do deus.  Se tornou bem agradável ouvir sua voz.
Ha Baek veio ao mundo humano exclusivamente para encontrar as pedras que ficavam guardadas com os deuses guardiões. Só assim ele poderia se tornar rei e estabelecer a paz em seu mundo.        Logo no início da jornada ele perde as coordenadas do local onde estariam os deuses guardiões. Devido a isso sua volta foi adiada.  Ele só não imaginava que o mundo humano pudesse esconder surpresas tanto doces como amargas...


So Ah é o par romântico do nosso lindo mocinho. Ela quebra um paradigma forte da sociedade em geral que acha que psicólogos ou psiquiatras não podem ficar abalados por seus problemas. Ela é uma psiquiatra com um trauma psicológico decorrente de falhas no relacionamento familiar. Desconfiada, tenta esconder o seu verdadeiro ser. Ou seja, So Ah se faz de indiferente, mas quer ajudar as pessoas, ser gentil com elas...
Detalhe importante: por causa de um erro de seus antepassados a família dela foi condenada a uma vida eterna de servidão aos deuses. Entretanto, So Ah é cética em relação a isso. Contudo, ela começa a acreditar que isso é possível quando o narcisista deus da água interfere para o bem em sua vida. Ha Baek quebrou o pouco equilíbrio que ela achava ter.
Me identifiquei com a personagem interpretada por Shin Se Kyung. Há algum tempo vi um vídeo dela e do Nam Joo Hyuk nos bastidores do drama e o último parecia rígido ao seu lado. Então imaginei que faltaria entrosamento entre os dois nas filmagens, mas me enganei redondamente. As cenas deles dois foram sempre tocantes. Pela primeira vez me emocionei com as cenas em que algum personagem estava triste. Sim, eu sou uma pedra. Me julguem! Nas vezes que Ha Baek estava triste eu fiquei triste também, deu vontade de consolá-lo. Eu queria um Ha Baek para a minha vida!
Atenção: Spoiler
Leia por sua conta e risco!
Gostei do beijo deles! Nada melhor que ser beijada em uma linda paisagem, né?KKKK


Hoo Ye
Ele é o presidente do hotel, cujo sucesso de Marketing se deve a deusa do reino das águas Moo Ra. Suas habilidades em gerir o negócio da família são excelentes. Inteligente, bonito, gentil e misterioso. Claro que eu gostei desse personagem. Cheguei a shppá-lo um pouco com a Yoon So Ah.
Pela imagem vocês devem estar pensando que ele é o vilão da história, porém não é bem assim.  Esse ser misterioso ajuda a fechar o quase triângulo amoroso. Digo quase porque até o momento ele não se declarou propriamente para a protagonista.


Essa é a Moo Ra, interpretada pela Krystal Jung. Mais uma vez deram um papel de garota chatinha e ciumenta para a integrante do F(x). Em The Heirs ela atuou como a ciumenta Lee Bo Na. Aqui ela tem um amor platônico pelo deus da água, mas nunca teve coragem de se confessar. Não estou criticando, pois a Krystal atua realmente bem nesse  Tipo de papel. Inicialmente a deusa Moo Ra se mostrava bem arrogante, quase insuportável, mas ao longo do drama percebemos que ela possui bons princípios e os segue. Gostei da personagem.
Os figurinos dela são os melhores. Eu queria aquelas roupas!


Lhes apresento Bi Ryum, um deus dos céus. Esse dorama está repleto de paixões não correspondidas. Não poderia ser diferente com Bi Ryum. Só não vou falar quem é a amada dele porque seria spoiler. Ele acrescentou uma boa dose de confusões ao longo dos capítulos, o que tornou a atração mais interessante. Ação é o que não falta quando este encrenqueiro entra em cena.

Personagens secundários
Nam Soo Ri é outro servo dos deuses, fiel especialmente a Ha Baek. Segue todas ordens de seu amo sem pestanejar. No entanto, algumas vezes isso nos faz ficar com raiva do Ha Baek por ser super arrogante com seu servo. Claro que isso passa logo, pois essa arrogância proporciona momentos engraçados. Tem também o secretário Min que vive brigando com o desafeto de Yoon So Ah, conhecida como a irritante Shin Ja Ya. Apesar dela ser chata na maioria das vezes é um tipo engraçada. Eu shippo os dois. Também gostei dos amigos da protagonista que se preocupam e mostram a realidade.

CONCLUSÃO
 Bride of the Water God pode ser previsível inicialmente, com alguns clichês muito decorrentes, o que não tem nenhum problema para os amantes de romance como eu. Dependendo do modo como a história se desenvolve os clichês tornam o dorama ainda mais envolvente. Esse é o caso da atração da Tvn. Ao meu ver o roteiro não teve nenhuma falha que me dessagrasse e os atores atuam com maestria. Adorei a escolha do elenco. Os protagonistas tem uma ótima química, contribuindo para o nosso entretenimento.  Todavia, o enredo seria mais original se seguisse o manhwa.
O conteúdo não é só água com açúcar. Questões importantes como o apoio familiar e suicídio são tratados levemente. Além disso temos o prazer de ver como é gratificante deixar de desconfiar e apenas se entregar ao amor...
Espero que quem assistir tenha suas horas preenchidas por sentimentos doces e goste tanto quanto eu dessa história maravilhosa.  Ainda faltam seis episódios para a obra ser concluída, mas espero que o roteirista não estrague tudo porque até o décimo episódio estava incrível.
Beijos da Beca-chan, um dos meus muitos apelidos!

Uma linda imagem para fechar o post!💗💗💗
Links para a resenha da xará:
http://cantinhodasxaras.blogspot.com.br/2017/01/resenha-bride-of-water-god-3-yoon-mi.html
http://cantinhodasxaras.blogspot.com.br/2017/02/resenha-bride-of-water-god-4-yoon-mi.html



Comentários

  1. Acabei de assistir esse drama hj. É maravilhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também gostei muito desse dorama. Mas tem muita gente que não gosta dele dizendo que os personagens não tiveram Química, mas eu não acho isso. Entretanto, entre os episódios 13 e 16 acabei me decepcionando um pouco, pois acho que tornaram muito dramático os acontecimentos com o pai dela. No mais foi excelente e teve um final feliz😍😍

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Impressões finais do dorama While You Are Sleeping

Annyeonghaseyo chingus! Eu não ia fazer resenha agora sobre While You Are Sleeping, mas o dorama estava tão bom que foi impossível deixar minhas observações para depois. Olha a sorte de vocês kkkkkk Podem ficar tranquilos, a resenha não posssui nenhum grande spoiler, apenas alguns fatos importantes.

[Maratona] Good Morning Call: Our Campus Days – Saiba tudo sobre a segunda temporada deste dorama tão especial

Título: Good Morning Call – Our Campus Days Também conhecido como: Good Morning Call – Segunda Temporada Baseado no mangá de mesmo nome, da autora Takasuka Yue Número de episódios: 10, com média de 45 a 50 minutos de duração Tipo: Live-Action. Gênero: Shoujo, Drama, Romance, Comédia & Escolar País: Japão Onde assistir: Netflix 
1.Introdução e comparativo com a primeira temporada. Desde o ano passado eu estava à espera da segunda temporada de Good Morning Call, e finalmente maratonei 10 episódios de um dia para o outro. A trama me prendeu completamente, e se comparado com a primeira temporada, acho que nesta segunda houve mais profundidade em relação aos sentimentos dos protagonistas e o envolvimento com os demais personagens. Quanto ao triângulo amoroso, esta é outra diferença entre as duas temporadas: na primeira, o triângulo amoroso envolvendo Nao era bem mais evidente, uma vez que o sentimento de Daichi pela menina era algo que cresceu durante anos através da convivência que tinham.…

Happy Marriage (Episódios Legendados)

Gente, para quem esperou (um bom tempo) aqui está a lista de episódios de Happy Marriage:
Happy Marriage Episódio 1