Pular para o conteúdo principal

[Thai Drama] Promesa de Venganza

“He esperado este día durante mucho tiempo, Ganok. Prometo que tomaré venganza por usted, com la máxima satisfacción”.
“Tradução: Esperei este dia durante muito tempo, Ganok. Prometo que me vingarei por você, com a máxima satisfação”.
Resenha
Existe uma frase de André Maurois que diz o seguinte:” A leitura de um bom livro é um diálogo incessante: o livro fala e a alma responde”.  Sinto que com os doramas acontece a mesma situação, pois quanto mais assistimos a estas maravilhosas produções cinematográficas mais nos tele transportamos para um outro mundo, distante das preocupações e crueldades da vida real. Um passatempo que nos alegra. Entretanto, às vezes entramos numa fase em que nenhum livro, dorama ou série nos agrada, as sinopses parecem fracas, sem nenhum fator que chame nossa atenção. Era nesse estado em que me encontrava, mas felizmente depois de avançar pelo meu feed de notícias do facebook, encontrei a indicação desse lakorn. Já tinha ouvido falar sobre essa palavra antes, porém naquela época acabei esquecendo de procurar o significado.   Claro que como agora eu queria assistir esse drama tive que procurar sobre.  Segundo as minhas pesquisas   Lakorn significa brincadeira/jogo, além de designar as novelas dramáticas da Tailândia.
Fiquei tão animada com a sinopse a ponto de procurar o dorama em todos os fansubs que me cadastrei, mas nenhum tinha o título esperado. Os Lakorns não são muito conhecidos pelo público "dorameiro". Posteriormente o encontrei no youtube somente em espanhol. Ainda bem que era em espanhol, pois sou horrível em inglês. Aparentemente a pessoa que postou no grupo dos doramas tinha gostado da trama, porém não achou nada extraordinário. A temática me agradou muito, afinal, quem não gosta daqueles enredos onde o protagonista deseja se vingar fazendo a mocinha se apaixonar por ele, porém no final ele acaba preso na própria armadilha? Quando vi a sinopse imaginei algo no estilo do drama The Innocent Man. A história desse dorama é incrível.... Te prende do começo ao fim em uma teia de acontecimentos com drama, ação, traições, intrigas e em meio a isso tudo o amor. Qualquer dia faço resenha aqui no blog. Talvez kkkk
No entanto, me enganei completamente. Para a minha surpresa o drama contém um tema muito mais complexo do que eu imaginava.  O abuso contra a mulher é um tema que nos últimos anos ganhou muita visibilidade, principalmente nos países ocidentais. Infelizmente, na Ásia esse assunto ainda é tratado como um grande tabu que deve ser oculto, desconsiderando o sofrimento da vítima. 
No ano de 2016 a organização mundial de combate a pobreza ActionAid revelou uma pesquisa, da qual participaram quatro países: Brasil, Tailândia, Índia e Reino Unido. O levantamento foi feito com 1500 mulheres nas principais cidades dos respectivos países. 86% das mulheres brasileiras e tailandesas já sofreram assédio em espaços públicos. A Tailândia conquistou o record de segundo país em aceitação da violência contra a mulher. Assim como diversos amantes da cultura asiática, a atriz Bruna Fornasier sonhava em fazer uma viagem para conhecer esses maravilhosos países. Para realizar seu sonho economizou e planejou sua viagem com todo o carinho. Tudo estava indo bem, até chegar na Tailândia. Quando ela estava dormindo no hostel onde se hospedara um indiano tentou estuprá-la. O estabelecimento inquiriu se ela desejava ir à polícia, mas solicitaram que ela não citasse o nome deste caso fizesse alguma publicação na internet. Ainda ameaçaram processá-la. Bruna não se deixou intimidar e denunciou o abuso à polícia, além de postar no facebook. Graças ao post encontraram o abusador. A atitude dela serve de incentivo para todas as mulheres. Crimes assim não podem passar impune. 
Agora vamos a história:
 Após um relacionamento de sete anos com Ganokwali, Nahkin, o presidente da empresa Ktk Corporation decide pedi-la em casamento. A mesma aceita sem pestanejar. Contudo, essa felicidade não durou tanto tempo quanto eles gostariam...
 Na noite oficial de núpcias Ganokwali resolve voltar para casa em busca de um quadro que desejava dar de presente para o marido recém casado.  No caminho de volta para a sua nova residência se depara com uma moça no meio da estrada chorando.  Ela tenta desviar da moça, mas ambas acabam em um grave acidente.  A moça sobreviveu ao acidente, porém a esposa de Nahkin não resistiu.  Este por sua vez deixou-se levar pela dor de perder seu ente mais querido e transformou-se num homem impiedoso. Ele jurou se vingar da pessoa que causara aquela tragédia. A mulher que estava andando na chuva sem atenção era Pantawan Tawan.Mas será que ela teve mesmo alguma culpa do que aconteceu,ou tudo não passa de uma loucura de um homem obcecado com a morte da esposa?
Com certeza no decorrer do lakorn, vocês vão se convencer de que só pode ser a opção 2. Na época desse infeliz acontecimento Nahkin foi até o quarto de Pantawan, onde descobriu seu nome e sobrenome. Três anos se passaram. No entanto nada mudou, a cada amanhecer o empresário só pensava em uma coisa: vingança. Só faltava o momento certo... Ele tinha certeza que o universo conspiraria a favor, afinal os maus não poderiam ficar livres.
Atenção: Spoilers no próximo parágrafo. Leia por sua conta e risco.
O dia da vingança finalmente chegou quando a irmã de Tawanapareceu em sua empresa para uma entrevista de emprego. No processo seletivo o anti-herói descobriu algo que poderia ser útil na sua vingança. Dean (a irmã de Pantawan) comentou que a irmã trabalha como enfermeira particular. O protagonista da história se agradou dessa coincidência, pois a irmã dele estava precisando de uma enfermeira devido a um acidente que tirou o movimento das suas pernas.
A partir desse momento Nakhin se aproxima das duas irmãs e pouco a pouco ganha a confiança destas. Pantawan assina um contrato onde mais tarde descobre estar presa a trabalhar com sua família por pelo menos um ano. O plano de Nahkin obteve o sucesso esperado, pois Pantawan estava completamente apaixonada por Nahkin.  É nesse momento que as agressões físicas e psicológicas se intensificam.  A agressividade de Nahkin fica fora de controle a ponto dele violar Pantawan sexualmente várias vezes. Alguns podem até tentar justificar” mas ela gostava dele”, só que ela não desejava fazer aquilo naquele momento de forma tão abrupta. A vontade da mulher deve ser respeitada e os homens tem que entender que não somos “apenas objetos” para satisfazer os seus desejos.
E não é só o comportamento de Nahkin que é inaceitável. A trama ainda apresenta outros personagens com comportamentos violentos, beirando a loucura. No final do drama há o aparecimento de uma personagem, cuja vida tem um grande mistério a ser revelado. Ela tem a mesma aparência da falecida esposa de Nahkin. Será que é a irmã dela ou apenas uma pessoa semelhante a ela? São perguntas que eu mesma me fiz, mas me surpreendi depois com a resposta que me foi dada.
Elenco

Dome Pakorn Lum e Janie Tienphosuwan como Pantawan(Tawan) e Nahkin(Kin)

Apesar de ter odiado o personagem do Nahkin quase o dorama inteiro, tenho que admitir a excelente atuação do ator. Este conseguiu transmitir o ódio de Nahkin de tal forma que parecia real. Dava para ver nos olhos a maldade de Nahkin. Cheguei até a ficar com medo de sua expressão. Pantawan não me agardou inicialmente porque fazia o estilo bobinha, além de se deixar ser ferida sem fazer quase nada. A atitude de mosca-morta dela me irritou bastante. Pelo menos no final ela amadureceu e se defendeu um pouco melhor. A atriz atuou bem, principalmente nas cenas de sofrimento. O casal tem química, isso se nota já pelas fotos...Uma pena que estragaram a história de amor deles.

Lydia Sarunrat Visutthithada e Gun Kantathaworn como Prakaideun(Deun) e Nahkarin(Nahk)
Não adianta, não consegui gostar do irmão mais novo dele. Para mim ele também seria capaz de fazer a mesma coisa que o irmão fez a Pantawan com a irmã dela. Isso se prova na cena em que ele tenta agarrá-la no hotel. Se ela não tivesse se defendido sabe-se lá o que poderia ter acontecido. Sinto muito, mas o casal não me convenceu.
Achei linda a relação de irmãs entre Pantawan e Deun. Nada de brigas, só amor, uma apoiando a outra. 
Muito amor pelo irmão médico do Nahkin. Ele sim é um cara legal. Parabéns ao ator que o interpretou. O personagem tinha uma doçura acompanhada de compreensão que encantava. Sempre buscava ajudar a Tawan. Teve certo momento que shippei fortemente os dois. Ele só me decepcionou por um motivo. SPOILER: ele sabia que o irmão amava Tawan, mas que estava fazendo coisas erradas. Mesmo assim ele tentou fazê-la cpmpreender a situação. Eu só o perdoei porque depois ele entendeu o quão perigoso o irmão poderia ser. Até ofereceu ajuda, recusada pela própria. A amida da protagonista foi bem engraçada, o que contribuiu para aliviar os momentos de tensão durante o drama.
Mãe, pai e irmã do Nahkin
Amei a atuação deles. Foram tão bonsodos com Pantawan, especialmente a irmã dele. Coitada! Mal sabia que estava empurrando-a para o lobo em pele de cordeiro.
Conclusão:
Cheguei à conclusão de que, definitivamente lakorns não são o meu tipo de dorama favorito.  As violações são muito comuns nos lakorns e não são tratadas da maneira correta.  A verdade é que os lakorns romantizam o estupro. Passam a ideia de normalidade, o que reforça a falta de valor da mulher na sociedade perante a visão dos homens. Incentiva as mulheres a ficarem caladas diante de qualquer abuso. A história não tem nada a ver com superar os problemas e seguir em frente, mas trata o estupro como algo bonito e aceitável. Esperava um final diferente, com o Nahkin pagando por todos os seus erros, o que não aconteceu. Spoiler: Ele não sofreu praticamente nada no final e ainda fica com a protagonista.  Também achei a história bem previsível. Vi outros dois lakorns pulando partes e todos tinham o mesmo desenrolar: o homem culpava a protagonista por algo que ela não tinha culpa, decide se vingar, maltrada a pobre de todas as formas possíveis e depois a viola como máxima punição. Ela se apaixona, perdoa o bruto e assim vivem felizes para sempre. Ah, acabei me esquecendo de uma coisa: durante a trama há outros persongens violentos além do protagonista,que persegem as mocinhas. Fica fácil desvendar o enredo dos lakorns. Ainda bem que a tailândia também faz uns doramas fofinhos. Caso contrário estaríamos perdidos. 
Esperava algo leve. Entretanto, minhas expectativas foram por água abaixo. O drama tem quinze episódios de quase duas horas cada. Só não digo que perdi o meu tempo porque graças a esse thai-drama pude conhecer um pouco mais da Tailândia. Esse país que abriga maravilhosos atores e doramas. 
A única coisa boa que vou levar desse lakorn é a lembrança da família de Nahkin, todos, exceto o irmão dele. 
Não recomendaria para ninguém, mas se você gosta de histórias pesadas pode ser uma boa pedida. Intrigas, pessoas com distúrbios comportamentais, vingança, ação e muito drama o esperam! 
Imagem relacionada

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Happy Marriage (Episódios Legendados)

Gente, para quem esperou (um bom tempo) aqui está a lista de episódios de Happy Marriage:
Happy Marriage Episódio 1 

[Maratona] Good Morning Call: Our Campus Days – Saiba tudo sobre a segunda temporada deste dorama tão especial

Título: Good Morning Call – Our Campus Days Também conhecido como: Good Morning Call – Segunda Temporada Baseado no mangá de mesmo nome, da autora Takasuka Yue Número de episódios: 10, com média de 45 a 50 minutos de duração Tipo: Live-Action. Gênero: Shoujo, Drama, Romance, Comédia & Escolar País: Japão Onde assistir: Netflix 
1.Introdução e comparativo com a primeira temporada. Desde o ano passado eu estava à espera da segunda temporada de Good Morning Call, e finalmente maratonei 10 episódios de um dia para o outro. A trama me prendeu completamente, e se comparado com a primeira temporada, acho que nesta segunda houve mais profundidade em relação aos sentimentos dos protagonistas e o envolvimento com os demais personagens. Quanto ao triângulo amoroso, esta é outra diferença entre as duas temporadas: na primeira, o triângulo amoroso envolvendo Nao era bem mais evidente, uma vez que o sentimento de Daichi pela menina era algo que cresceu durante anos através da convivência que tinham.…

Resenha Kimi no Suizo Wo Tabetai[J-Movie]

Lançamento:28 de Julho de 2017
Diretor: Sho Tsukikawa Gênero: Colegial, Melodrama, Romance, Live Action Duração: 115 min. Áudio: Japonês Legenda: Português - BR Distribuidor: Toho Olá, amantes da cultura asiática! Sentiram saudades de mim? Espero que sim, já que eu e minha xará trazemos ótimas recomendações para vocês(risos). Não sou nenhum pouco convencida, certo? Brincadeiras à parte, vamos ao que interessa. Hoje vou expressar minhas opiniões sobre Kimi No Suizo Wo Tabetai, cujo título em inglês é I Want to Eat Your Pancreas. O J-Movie foi baseado na novel de Yoru Sumino.
A adaptação é contada a partir das lembranças de Shiga, um colega de classe que descobre no chão do hospital o diário de coexistência com a doença, pertencente a Sakura Yamauchi. Esse diário, como o próprio nome sugere, detalha a reação da adolescente ao descobrir sua doença fatal no pâncreas, seus sentimentos em relação a enfermidade e como convive com isso. Se você encontrasse um diário no chão, o que você faria? Opção A: …